CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

O NATAL DE NELI




Estou editando este cordel com um pouco de atraso, mas é importante registrá-lo aqui.

O Natal de Neli

Amigo, caro amiguinho
Uma história eu vou contar
O natal de uma menina
Que pra vocês vou mostrar
Era uma criança humilde
Mas deu muito o que falar.

De família muito pobre
Uma boa infância viveu
Valorizando os momentos
Felizes que Deus lhe deu
No tempo da inocência
Com sua família cresceu.

Entre painho e mainha
Assim a menina os chamava
Foi uma vida difícil
Mas essa menina não olhava
Só percebia a bondade
Naqueles que a rodeava.

No tempo da sua infância
Televisão não existia
Computador muito menos
Mas sabe o que acontecia?
Brincava com a natureza
Com coisas que ela fazia.

Brincadeira desse tempo
Todo mundo ia querer
Melhor que o vídeo game
Que faz criança esquecer
Do ar e da liberdade
Que lá fora pode ter.

Esse lá fora que falo
Não é meio da rua não
Pode ser o seu quintal
Ou brincar com seu irmão
Tirar os olhos da tela
Pra ver o nosso mundão.

Observar nosso céu
O fruto que Deus nos dá
Também pode com as estrelas
Junto aos amigos contar
Contar bastante estrelinha
E brincar até cansar.

De barra-bandeira e boi passa
De roda, anel e melancia
De se esconder, minha gente
Assim a menina vivia
Mas do Papai Noel eu lhe digo
Crer nele não impedia.

Continuando a história
Uma coisa eu vou contar
O nome dessa menina
Que agora eu vou lhe dar
É um nome que eu dei
Neli nós vamos chamar.

Ela teve nove irmãos
E com todos conviveu
O seu pai era pedreiro
E a mãe que Deus lhe deu
Amiguinhos, vou dizer:
Eu sei que ela sofreu.

Todo ano no Natal
A criançada esperava
Um presente do papai
Papai Noel aguardava
Ele só trazia bombons
E ali perto deixava.

Só podiam ser bombons
Os presentes que trazia
Papai Noel era pobre
Mas muita questão fazia
Agradar a todos nove
Isso ele sempre queria.

Na casa da tal Neli
Cama não se encontrava
Só do painho e mainha
Era que ali se achava
Dormiam todos de rede
Mas nunca se reclamava.

Neli contava aos amigos
As coisas que acontecia
Quando chegava o Natal
O que a criança queria?
Esperar papai Noel
Mas mesmo assim adormecia.

Papai Noel de mansinho
Com o seu presente chegava
E embaixo de cada rede
O presentinho deixava
Aquele, o mais sabido
Seu presentinho roubava.

Papai Noel não é tolo
E logo a história mudou
Deixar presente embaixo
Da rede não mais deixou
Colocar dentro da rede
A inteligência ele usou.

Mas o melhor da história
Agora já vai saber
Sabem o que acontecia?
Grande salada ia ter
Mijo e bombons com força
No outro dia ia se ver.

Não estranhe amiguinhos
Esta história de Neli
Por que qual foi a criança
Que não tenha feito xixi?
Se isso não acontecia
Venha me dizer aqui.

Amigo, caro amiguinho
Um recado eu vou deixar
Seja rico, ou seja pobre,
Faça o seu natal chegar
Não importa o seu presente
O que você vai ganhar.

Seja beijo, ou seja abraço,
O importante é guardar
Guarde bem no coração
E saiba aproveitar
Porque o maior presente
Mais tarde Deus vai lhe dar.

Neli a dona da história
Muitos presentes ganhou
Com a força de vontade
Por muito tempo estudou
Juntou trabalho e estudo
Até que um dia se formou.

Digo o grande presente
É encontrar felicidade
Na pobreza ou na riqueza
Com o coração sem maldade
Seja sempre amiguinho
Mande embora a falsidade.

Nelcimá
27/12/2008

A todos que visitaram este blog eu desejo um Ano Novo repleto de realizações bem sucedidas e que o Bom Deus encha de graças os nossos corações. Obrigada pelos comentários e um grande abraço!

1 comentários:

rwann disse...

parabéns nelcimá,nós adoramos as literaturas.
Continue sempre assim, um grande beijo dos alunos do ARGENTINA PEREIRA GOMES.

ALUNOS: AMANDA EMILLY
BRENDA LINA
ERISSON DANILO
RWANN SILVA
8º F TARDE