CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Esta, sim, é um mulherão!

Peço aqui a sua atenção
Para o que vou escrever
Prestar a minha homenagem
E com orgulho dizer
Tem força extraordinária
É batalhador esse ser.

Trabalha de todo jeito
Nada faz se envergonhar
O que importa pra ela
É o seu pão arranjar
Não tem homem neste mundo
Pra com ela comparar.

Quando falo da mulher
Também não posso esquecer
Tem aquelas impulsivas
Que gente, eu vou lhe dizer
Até mancham o nosso nome
Mas isso vamos esquecer.

Quero pensar na mulher
E de sua força falar
Sua grandeza começa
Por Jesus Cristo gerar
Se o homem pensasse assim
Iria nos valorizar.

Destrincho em cada estrofe
De cada uma um poder
Primeiro o de ser mãe
Que nos faz engrandecer
É uma missão tão forte
Só quem é mãe vai saber.

Temos mulher operária
Também mulher enfermeira
Tem mulher comerciante
E também a lavadeira
Temos as advogadas
E juízas de primeira.

Mostro agora a professora
Que seu filho vai educar
Suportando cada uma
Você precisa escutar
Mas às vezes com paciência
Faz esse jovem estudar.

Aliás, a paciência
É da mulher uma virtude
Vive em qualquer ambiente
Mostra a sua magnitude
Muitas vezes por alguém
Acaba a sua juventude.

Tem mulher policial
Chegando a ser delegada
Não tem medo do bandido
E assim bem arrumada
Trabalha no meio dos homens
Sempre bem observada.

Para ser independente
A mulher quer trabalhar
Trabalha fora de casa
Pra o seu dinheiro ganhar
Mas também se preparando
Pro seu trabalho dobrar.

Varre casa, faz comida
Muita roupa pra lavar
Engoma e passa pano
Pra sua casa cheirar
Cuida do marido e filho
E ainda quer trabalhar.

Muito homem não entende
Na mulher esse querer
Ficar só em casa sufoca
Podia o povo entender
Que a mulher também precisa
Com outras pessoas conviver.

Fazer novas amizades
Para muito refrescar
E quando chegar em casa
As tarefas agüentar
Ficar bem pro seu marido
E ter o que conversar.

Esta, sim, merecedora
Do tal termo "mulherão"
Sua bravura é digna
Florido é o seu coração
Nele tem cheias e secas
Os recheios da emoção.

Nelcimá Morais
28/02/10

6 comentários:

Samya disse...

Dona Nelcimá tavendo que eu vim aqui no seu blog?!!!
uahuahauhahauha
MULHERÃOO sou eu!!
kkk
Bjãoo

Dalinha Catunda disse...

Olá Nelcimá,

Você querida Nelcimá
É quem é um Mulherão.
Pinta, borda,faz versos.
E pilota o seu fogão.
varre, Lava ainda passa!
E não perde sua graça
é Digna de louvação.

Amiga, o meu blog está só no começo. O Cordel de Saia. Eu agradeço seu comentário e na hora certa você vai aparecer lá também. Queremos agregar, juntar valores. Entrevistar e postar trabalhos de nossas companheiras.
Beijos,
Dalinha

Benilda disse...

Oi Querida você é D+, um mulherão de primeira.
Bjos

Rosário Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosário Pinto disse...

*
Professora Nelcimá,
Hoje venho visitar
Este blog de relevo
Para aqui me inspirar
"Cordel de Saia", apontou!
Já está a passear
**
Nossos agradecimentos
Pelo blog apoiar
Certamente que queremos
Seu cordel prestigiar
Sempre de olhos atentos
E com você compartilhar
***
A boa e bela poesia
De seus versos faz brotar
Dessa fonte beberei
Atenta a lhe acompanhar
Lá na nossa Cordelteca
Seus folhetos faz constar

Um forte abraço,
Maria Rosário Pinto

lelasabino@hotmail.com disse...

A você, minha querida poetisa,quero a minha admiração expressar,quero lhe informar que esse poema mulherão encaixou perfeitamente em mim,sou uma pessoa que até aqui mim ajudou e deu-me forças o Senhor, para que eu possa honrar esse titulo"MULHERÃO", BJKS MINHA LINDA, FICA NA SANTA PAZ DE Deus.