CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

domingo, 10 de outubro de 2010

12 de outubro "CRIANÇA, NOSSA ESPERANÇA"


(Poema de Antônio Francisco ( conhecido por Toinho dos calçados- poeta de Santa Luzia)
(

A criança é uma rosa
Que tem perfume e pureza
Linda, bonita e cheirosa
Seu olhar tem mais beleza
Enfeite da moradia
Segredos da natureza.

Hoje é o teu grande dia
Tua data natalícia
Que reina com alegria
Com muito amor e carícia
Para um mundo infantil
Que ainda não tem malícia.

Sua vida é tão feliz
Pula, brinca, farra e dança
Canta e reza na matriz
Como é linda uma criança
É começo de uma vida
Que nos enche de esperança.

12 de outubro é a data
Que vamos comemorar
O dia claro, cor de prata
Para a criança esperar
Ganhar presente dos pais
Fazer a festa e brincar.

O dia amanhece lindo
O sol nasce multicor
A criança está sorrindo
Parecendo uma flor
Da árvore do paraíso
Fruto de um grande amor.

Casa que não tem criança
É missa que não tem padre
É vida sem esperança
É um convento sem madre
É um filho sem padrinho
É um casal sem compadre.

Criança merece amor
Carinho e dedicação
A criança é uma flor
Do jardim do coração
Não pode ser desprezada
Nem lhe faltar atenção.

Parabéns para as crianças
Do nosso imenso Brasil
Que cantam as esperanças
Desse povo varonil
Com amor e alegria
De toda a classe infantil.

A criança é uma jóia
Que enfeita o nosso lar
Seus pais lhe ama, apoia
Não deixa nada faltar
Balança ela no colo
Pra criança não chorar.

O casal que não tem filho
Adote um por bondade
Que Jesus cobre de brilho
Seu gesto de caridade
Na vida ou no paraiso
Não terá dificuldade.

Crianças, sejam felizes!
Sintam-se homenageadas
E estas rimas que fiz
São pra vocês ofertadas
Pra quem tem familia e lar
E as que são abandonadas.

Nossa vida é criança
Criança é nossa vida
Um amor, uma esperança
Uma inocente querida
É alegria do casal
O conforto da guarida.

Da vida nasce a criança
Da criança a harmonia
Da harmonia a esperança
Da esperança a simpatia
Da simpatia o amor
Do amor a alegria.

Eu vejo o nosso futuro
No sorriso da criança
Um amor tão belo e puro
Nos enche de confiança
Nosso filho, nosso orgulho
Criança, nossa esperança

Seguidores

Perfil

Minha foto
Professora há 31 anos, nasci em Santa Luzia-PB e aos 18 anos de idade ingressei no magistério, missão que exerci com extrema dedicação em cidades do interior da Paraíba. Já nos caminhos da aposentadoria resolvi frequentar a UFPB, como aluna especial de Pós-Graduação, onde na disciplina de Literatura Popular, descobri que devia amadurecer a minha admiração pela cultura popular, tornando-me assim, pesquisadora e cordelista. Minhas poesias: A saga da professora Nelcimá; Um capeta no forró da Pitombeira ou Saudosa Quixaba; O tormento de Mirinha com as botijas; O martírio da virgem Luzia; O anjo e a maldição de Sara; O escritor José Lins do Rego; O menino do engenho; A cura de outrora I, O velhinho que escapou da solidão; A cura de outrora II e a cura de outrora III; As travessuras do saci-pererê; A trajetória de um leãozinho; E assim Deus fez o mundo; O feijãozinho teimoso;As façanhas de um mentiroso; O centro cultural São Francisco; Poema para um casal prateando; O natal de Neli;A mulher que botou pimenta no pinto do marido; A Senhora do Rosário, O veneno da humanidade ou Os estragos do tabaco.